Web,ruby, Ajax ou qualquer outra coisa que me venha a cabeça (com prioridade para esta última)

28 outubro, 2005

Semiótica e Arquitectura de Informação

Semiótica e Arquitectura de Informação

A semiótica em termos simples é o estudo dos sinais. O que se pode tornar complicado é definir o que é um "sinal".

Quando pensamos em sinais, pensamos em algo visual como um sinal de trânsito. Mas os "sinais" são feitos de muitos componentes diferentes - palavras, sons, linguagem corporal e contexto - todos combinados para criar uma linguagem visual que nos ajuda a compreender algo, seja o caminho para a praia, ou se alguém, nos detestou da primeira vez que nos viu.

Este artigo não é sobre semiótica. Não vou aprofundar este assunto muito mais, pois num campo desta natureza nunca poderia deixar de só arranhar a superfície. Vou tentar falar é do uso da simeótica na Arquitectura de Informação. Isto, só por si, já é um campo muito grande pelo que só vou fazer uma introdução.

Introdução

Já dissemos que a semiótica é o estudo dos sinais e que os sinais podem ser feitos de todo o tipo de coisas tal como a língua, imagens, linguagem corporal, etc. Mas o que é que isto nos diz na prática? Bem, poderá ajudar-nos a dar uma revisão ao campo da semiótica e depois passar para algumas teorias que ajudam a constituir o seu núcleo.

Os semióticos modernos, não estudam só sinais - vai muito mais ao fundo - estudam como é que o significado se forma. Estudam como é que as pessoas interpretam um sinal, e como é a sua experiência cultural e pessoal os faz compreender um sinal. Neste sentido a semiótica é sobre comunicação (vê os paralelos com o design?).

Há três áreas principais na semiótica: os sinais, a sua forma de organização num sistema e o contexto em que aparecem.

Vejamos os sinais.

Os Sinais

Ícone - um ícone é um sinal que se assemelha a algo, tal como fotografias de pessoas. Um ícone pode ser ilustrativo ou diagramático, por exemplo um sinal de "proibido fumar".

Indíce - um sinal indíce é um sinal onde há uma ligação directa entre o sinal e um objecto. A maior parte dos sinais de trânsito são índices pois representam informação relativa a um local (por exemplo "perigos vários", colocado numa zona perigosa para o trânsito).

Símbolo - Um símbolo não tem um significado lógico entre ele e o objecto. Infelizmente a web está cheia de maus exemplos deste tipo de sinal, mas há bons exemplos - uma porta aberta para a página de entrada por exemplo. Outro tipo de simbolos que podem ajudar a explicar a diferença são as bandeiras. As bandeiras são simbolos que representam países ou organizações. Novamente o cruzamento entre design e marca está muito evidenciado nestes sinais.

Sausurre propôs uma estrutura mais simples do que é que um sinal é:

  1. um "significante" - a forma que o sinal toma e
  2. um "significado" - o conceito por si representado.

Para Saussure um sinal signo é uma combinação dos dois. Mas, o que é que isto significa em termos da Web?

A Semiótica e a Web

A Web está cheia de sinais. Pense nisso.

A maior parte dos utilizadores efectua uma tarefa num website, de modo a alcançar o que tenham a visam alcançar para navegar para o local correcto. Para que o façam seguem os sinais. Entende?

Não só sinais visuais. Vejamos a Arquitectura de Informação por um momento.

A AI é um campo do desenvolvimento que trata da organização da informação. Em tempos tive uma amiga que me descreveu o que é que a excitava no seu trabalho. Faço listas, disse ela com um grande sorriso. Depois faço listas dentro de listas. Parece-lhe excitante? Trocamos impressões sobre o sentido das palavras e do seu efeito sobre o seu trabalho.

As palavras são importantes, disse ela. Provavelmente mais do que tudo o resto. Podes ter um mau design, mas se as palavras forem as correctas no local correcto, o utilizador acabará por encontrar aquilo que pretende.

A conclusão desta conversa foi que as palavras também são sinais na web. A palavra correcta no sítio correcto - é disso que trata a navegação ou não? Contexto. Passemos agora a algo um pouco mais visual.

Tomemos o exemplo da concepção de um sistema icónico para uma aplicação online. Os paralelos com o design de software são óbvios - um interface gráfico de utilizador GUI, têm bons ícones, ou será que devo dizer sinais. Então o que é que deve fazer para tornar esses sinais compreensíveis pelo utilizador?

  • Seja evidente - seja corajoso
  • Deixe a "criatividade" para os maus designers - Este não é o local para fazer algo de diferente. Se existe uma convenção use-a
  • Posição, posição - Esteja no sítio certo.

Há mais, mas estas seriam as três coisas mais importantes, na minha opinião, para uma sinalização bem sucedida (não se esqueça que os ícones na web são sinalização e quando os está a desenhar está a criar uma sinalização quer o queira quer não).

Comentários de José Afonso (ainda sem website):

Penso que a semiotica é antes de mais um termo. Um termo que, entre várias coisas, designa uma ciência: a ciência dos signos (" Charles Peirce

general theory of signs, which he called semiotic, is a promising candidate for the theory of symbolism apparently missing as yet from the anthropological paradigm.
").

E, o problema, acho eu, surge logo no momento de distinguir signo de sinal. Penso que isto aparece pelo menos de dois modos: do ponto de vista da intencionalidade e do ponto de vista da codificação.

(
"Semiotic is the general theory that attempts to specify the general logical features of signs and the similarities and differences between the great variety of forms they can take. "
)

Um sinal de trânsito, penso eu, ser na verdade um signo. Um signo intencional de aviso de que uma regra ou norma deve ser cumprido. Um signo, também, do ponto de vista da codificação que remete de uma linguagem visual para uma linguagem verbal - a questão seguinte é saber em que medida se pode falar de linguagem visual (como alguns falam de pensamento visual) e da sua relação com (o código) (d)a linguagem verbal.

Não! Devia?... E depois há a comunicação... será que o sinal de trânsito visa comunicar-nos que a ou b deve ser feito ou transmitir-nos o que deve ser feito em determinada situação? Qual a diferença entre "comunicação"(teoria da informação) e "transmissão" (mediologia)?

O que se segue é uma classificação dos "sinais" (signos?) segundo Pierce (uma classificação segundo que princípio)? Ver Umberto Eco, Tratado... "Símbolos, índices, ícones: uma tricotomia insustentável" (curiosamente esta secção fala da "tipologia dos signos" - julgo que uma tipologia é uma classificação de tipos de signos segundo um princípio inerente ao sistema por eles formados)

A fotografia é um bom caso problemático para esta semiótica, cujo princípio de classificação, penso eu, serem as "causas". O que depois apresentas como o "poder ser" do ícone são as suas modalidades de classificação segundo o seu aspecto, constituição, organização ou apresentação material.

Será um símbolo o que "está por" ou "em vez de"?

Há ainda bastantes notas mais só que as vou guardar para amanhã.

2 comentários:

Cafonso disse...

como já perceberam esta entrada está um verdadeiro desastre. As notas do zeca deitam o texto literalmente para o lixo. Não levar em linha de conta o texto por favor

6 de Janeiro de 2010

Jónatas de Lima disse...

Qualquer símbolo, ícone, signo, sinal ou imagem produzidos são forma de comunicação.A aplicação e especificidades de cada um deles nas diversas áreas do conhecimento é que gera grande confusão. É a forma de pensar sobre ao que remetem, por exemplo: um símbolo remete a uma ideia que não se encerra num único significado, mas a significados inúmeros, exemplo, uma pessoa vestida de negro encapuzada portando uma foice, remete à ideia de morte. Mas, sobre a morte não há consenso. Pode ser a morte física, a morte psíquica, o fim de um relacionamento, a morte da alma, o além, os mortos, zumbis. Enquanto um sinal encerra seu significado em si mesmo. Exemplo uma seta indicando passagem obrigatória. O ícone é a imagem do próprio objeto a que se refere. O signo, é como o símbolo, mas, encerra seu significado numa área específica do conhecimento, exemplo o signo de peixes, a imagem remete a um determinado tipo de comportamento e personalidade manifestas por pessoas nascidas em determinados períodos. Todos eles são formados por imagens. Penso que seja mais ou menos isso. Não quis me delongar mais, mas, cada um deles merece a devida atenção, para ser melhor estudado. Em linhas gerais esse é o norte, que eu sigo.