Web,ruby, Ajax ou qualquer outra coisa que me venha a cabeça (com prioridade para esta última)

14 novembro, 2005

Web e Dislexia

Concepção de páginas web para leitores dislexicos

A chegada da WWW aos ecrãs dos nossos computadores significa que sofre das falhas de qualquer novo meio:

  • A generalidade dos sítios web é construído com excesso de pressa
  • Os web designer são relativamente novos no meio
  • O texto é frequentemente apresentado num formato eligível, mesmo em texto branco/amarelo sobre fundo preto
  • Navegar num website não é fácil
  • Alguns anunciantes tratam de arranjar algo para chamar à atenção mesmo que seja irritante
  • Alguns designers vêm as páginas web como perítos de computadores em vez do ponto de vista de pessoas normais que leem as suas páginas
  • Preseume-se que todas as pessoas que visitam as páginas sabem/podem usar deligentemente o seu computador
  • Os designers são tentados a criar formas de levar as pessoas a manterem-se no sítio em vez de fornecerem ligações úteis que levem as pessoas a visitar outras fontes de informação
  • e em último lugar, a generalidade das páginas na web foi/é construída por homens, (por acaso gostaria de ver mais páginas concebidas por mulheres)! Falta um pouco de percepção feminina e empatia.

Largura de coluna

Nada há de pior do que ler aquele texto que ocupa todo o espaço disponível no ecrã (da ponta esquerda até ao extremo direito). Há medida que os olhos tentam varrer o ecrã torna-se extremamento difícil ler a linha seguinte. O ponto de fuga perde-se no mar de texto. Exemplo 1 Exemplo 2

Claro que é muito mais fácil de ler a coluna mais estreita, com cerca de 60 a 70 caracteres do que o texto mais largo. É por esta razão que os jornais usam colunas.

Justificado ou não?

O Texto justificado é aquele em que as palavras são espacejadas pelo processador de texto de forma a que ambos os lados esquerdo e direito de cada coluna sejam linhas rectas. O texto não justificado - como o desta página - deixa uma arestas escadeada ao longo do lado direito.

Para um leitor dislexico, o texto justificado, que tem espacejamento mal distribuido entre palavras, cria padrões visuais de espaço em branco que são difíceis de ignorar. Esses espaços distraem o leitor que deixa de saber onde está a ler.

O espaço não justificado é muito mais fácil de ler, embora não esteja na moda em algumas revistas de design, ou pretenções a tal.

Cor do fundo

Alguns leitores dislexicos são particularmente sensíveis ao contraste do texto num fundo branco. Isto pode provocar um movimento aparente e a desfocagem do texto.

Pode evitar-se esta dificuldade se não se usar fundo totalmente branco. Algo como backgound-color: #ffffE5; é suficiente. O texto pode ser mais difícil de ler se for escrito sobre um padrão. (Exemplo)

Para páginas que sejam usadas frequentemente por dislexicos adultos ou adolescentes, pode ser adicionado um comutador de fundo de página, como o existente no cimo desta entrada.

Tipos de letra

Infelizmente a generalidade dos programas de computador por omissão usam letras com serif, como a Times New Roman. Este tipo de letra é tradicionalmente associada à impressão. Uma letra com serif é aquela cujas extremidades têm variação de espessura de traço.

A utilização de um tipo de letra como o "Arial" permite uma página mais clara, para dislexicos.

Tamanho do tipo de letra

Os ecrãs estão cada vez maiores, mas a maior parte das pessoas continua a ver às páginas da web em monitores pequenos. É difícil ler um texto com tamanhos demasiadamente pequenos.

Evitar itálicos

As letras em itálico estão ligeiramente deitadas e são normalmente usadas nos livros para dar enfâse a algo. Contudo, quando vistas num monitor por uma pessoa dislexica são difícies de ler.

No caso da letra ser de uma tamanho muito pequeno tornam a sua leitura impossível.

É preferível realçar palavras usando negrito.

Imagens e Fotografias

Não precisa ser disléxico para saber que uma página com imagens é mais agradável de ser vista do que uma só com texto. As imagens ajudam a quebrar a página em pequenas porções e para um disléxico, dão um estímulo visual imediato e uma memória visual para o futuro.

Pode ver a desilusão na cara de uma criança quando chega a uma página sem imagens. Infelizmente desenvolvemos a opinião que livros com imagens/desenhos são para as crianças, os adultos lêm livros sem imagens. Pode ser apropriado em certas circunstâncias, mas mesmo num texto académico é um alívio ver um gráfico! (Mau exemplo)

Caixas de Texto e Balas

  • Podem ser usadas caixas de texto e balas de forma a enfatisar ou realçar aspectos importantes.
  • Servem ainda para quebrar um secção extensa de texto denso.
  • As balas servem ainda para realçar aspectos chave, em especial se estiverem separadas por espaço em branco extra para ajudar a clarificar.

Imagens em movimento

Imagens a piscar distraiem não só pessoas com problemas visuais, mas todos nós.

Um sentido de direcção afecta os leitores dislexicos. Quantas vezes já tivemos problemas com um web designer "excessivamente criativo".

A regra de outro é haver uma lista de ligações simples em cada página ligando a todas as outras páginas ou secções do sítio

Frases curtas

Frases alongadas contêm mais do que uma ideia. É perfeitamente possível repartir frases compridas criando frases mais curtas e simples. Isto não torna as frases intelectualmente inferiores.

As mesmas ideias podem ser traduzidas claramente em frases curtas. Isto dá um intervalo a um leitor dislexico após cada frase. Não há limite de comprimento fixo para uma frase complicada e comprida que de tão comprida o nosso cérebro deixa de interpretar. Um bom exemplo

Parágrafos curtos

Os artigos dos jornais são normalmente bons exemplos de como se deve repartir o texto para melhorar a legibilidade.

Por vezes os artigos são feitos de forma a que haja parágrafos a cada frase.

Tal pode não estar de acordo com as convenções de Português correcto ou de escrita de ensaios, mas tal é outro assunto.

A prioridade quando se lê um jornal ou uma página da web é legibilidade e os parágrafos - mesmo os com uma linha só - devem ser sempre espacejados com uma linha em branco entre cada.

Escrever para programas de leitura (tecnologias assistivas)

Os leitores dislexicos podem ler as suas páginas de web usando leitores de ecrã. Esses programas têm limitações e portanto devem ser seguidas algumas linhas de orientação:

  1. Se tiver um ponto final nos cabeçalhos (h1 a h6) tal faz com que a voz faça uma pausa e baixe o tom no final;
  2. Use ponto e vírgula, virgulas ou ponto finl após elementos numa lista com balas iniciais, caso contrário podem ser lidas como texto contínuo;
  3. Não escreva palavras só com maísculas pois podem ser lidas como letras individuais pelo programa;
  4. Separe os elementos de uma lista com balas com espaço adicional;
  5. Use um ponto parágrafo após uma ligação para o separar do texto que se lhe segue.

Bibliografia

Guia de Estilo da Associação Britância de Dislexia.
O estilo na qual esta informação foi produzida de forma a facilitar a compreensão pelo leitor. O formato com que se apresenta informação pode torná-la acessível e será vital se a informação contida é para ser compreendida por todos
Uma perspectiva de um disléxico sobre acessibilidade de conteúdo electrónico.
Cobre as quatro áreas principais de acessibilidade: apresentação, conteúdo, estrutura e navegação
10 linhas de orientação para melhorar a acessibilidade para pessoas com dislexia.
Bases para a melhoria da ligebilidade e acessibilidade por pessoas dislexicas

2 comentários:

Dórdio disse...

Olá.
Sou designer e interesso-me por esta área abordada no seu blog (legibilidade, ergonomia, etc). Sem querer pôr em causa a criatividade, é muito importante pensarmos no utilizador das nossas criações.
Gostaria de trocar mais impressões consigo. Se quiser pode encontrar-me no Messenger: dordio@hotmail.com.
Obrigado e continuação de bons artigos!

Dórdio disse...

Olá.
Sou designer e interesso-me por esta área abordada no seu blog (legibilidade, ergonomia, etc). Sem querer pôr em causa a criatividade, é muito importante pensarmos no utilizador das nossas criações.
Gostaria de trocar mais impressões consigo. Se quiser pode encontrar-me no Messenger: dordio@hotmail.com.
Obrigado e continuação de bons artigos!