Web,ruby, Ajax ou qualquer outra coisa que me venha a cabeça (com prioridade para esta última)

16 março, 2008

MOMA Design and the Elastic Mind

É raro ficar surpreendido por determinado interface, mas este, caramba, está muito para além do trivial (falar como um físico). Tenho que admitir que o meu cérebro está algo bloqueado, depois de ter sido passado a ferro pelo autocarro só para esboçar o que penso sobre a quantidade de informação aqui disponibilizada e a qualidade com que o faz.

Cada um pode preparar as suas visitas (virtuais), prepare-se para umas quantas longas visitas. Comecei pelos vídeos sobre o funcionamento das células.

Depois fui até à página inicial e dei uma vista geral (usando o rato para poder mexer-me rapidamente (se é que se pode dizer isso. O interface é particulamente PESADO. Mas encontram-se algumas gemas (será que há algum sítio para a falar como um geólogo) entre estas temos as escalas do universo (da Nikon) (podem começar pelos fermi ou fentometros e irem pela escala a cima. Isto é só uma sugestão claro)

Actualização: Hoje estive a ver mais um bocadinho encontrei por lá a nossa representante da ordem Susana Soares com os seus acrescentos olfativos e presentemente no projecto Material Beliefs.

Nota: A continuar a exploração.

O IO9 tem que ser proíbido de ser visitado por mim senão qualquer dia não faço nada. Então ontem encontrei esta exposição virtual do MOMA, hoje para descontrair encontrei o Museu do Improvável felizmente a viagem é mais curtinha.

Actualização:A viagem continua hoje com duas breves indicações a da Imaginary Forces e a da Mill. via: IO9 Actualização (2009-03-01):Um comentário vindo do Brasil levou a que eu fizesse uma resposta importante para quem queira obter mais algumas informações em português. Tenho ainda um outro artigo sobre esta exposição que envolve a sua curadora, Paola Antonelli.

7 comentários:

jocaferro disse...

Realmente, estou sem palavras.
Nunca vi nada assim e é exactamente como dizes - uma quantidade de informação fabulosa.
Vou-me divertir um bom bocado.

@braço.

Cafonso disse...

Ontem quando descobri o sítio tive um pequeno problema: fiquei por lá 3 horitas das 9 à meia-noite (já estou velho para isto).

O corpo já não gosta de coisas destas, mas a mente agradece. Os efeitos da dopamina devem ser ...

xistosa disse...

Contento-me com pouco, mas aqui há muito ... perde-se muito tempo.
Ou será que se ganha?

Cafonso disse...

A beleza é algo muito importante na vida das pessoas, acho que se trata de algo que nos dá esperança para momentos melhores.

E lá encontramos coisas belas.

No final acho que ganhamos e muito.

A etiqueta "perca de tempo" é uma piada privada e normalmente quer, neste blogue, dizer o oposto.

oficina experimental de artes disse...

Olá! Como é bom poder saber sobre esta exposição com um agradável sotaque português. Eu sou muito ruim em inglês e fiquei frustradíssima tentando traduzir esta uma matéria que me foi postada na época da mostra.
O que gostaria é poder saber mais informaçãos na nossa lingua, para poder publicar no meu blog (artetextilbrasil.blogspot.com).
Um abraço e desde já obrigada.

oficina experimental de artes disse...

Olá! Como é bom poder saber sobre esta exposição com um agradável sotaque português. Eu sou muito ruim em inglês e fiquei frustradíssima tentando traduzir esta uma matéria que me foi postada na época da mostra.
O que gostaria é poder saber mais informaçãos na nossa lingua, para poder publicar no meu blog.
Um abraço e desde já obrigada.

Cafonso disse...

Acho que um breve guia sobre o que foi escrito sobre a exposição poderia ajudar, pode mesmo começar pelo artigo da Cool Magazine, num texto de Nô Mello, ou o texto de Lígia Fascioni, pode ainda encontrar um dos trabalhos de Jonhathan Harris com vídeo e tudo.

Rachel Palhano resolveu depois de um breve comentário, fazer um destaque de uma das obras presentes Jimmy Loizeau (comunicação entre humanos), algo cómica (comunicação entre cães e humanos). Finalmente pode ainda encontrar a nota de otavio burin